A Felicidade Não Se Escreve (Happy Ending)

“Recriminam-se os escritores pela sua inclinação para abordarem temas sombrios, tristes, dramáticos, sórdidos e nunca ou quase nunca felizes. Não creio que isso seja fruto de uma preferência, mas da impossibilidade de contornar um obstáculo. Sucede que a felicidade é indescritível, não se pode declinar a felicidade. É por isso que os contos populares e os contos para crianças – e inclusive os filmes americanos com happy end– acabam sempre com uma fórmula deste género: “Casaram e foram muito felizes para sempre”. Ali o narrador detém-se, pois já não tem mais nada para dizer. Onde começa a felicidade, começa o silêncio. ”

(uma das maravilhosas “Prosas Apátridas” de Juan Ramón Ribeyro (Ahab Edições, 2010) e o meu raw canvas preenchido)

Anúncios

One response to A Felicidade Não Se Escreve (Happy Ending)

  1. JS

    eh lá!
    Tenho um segredo comigo
    que me faz sempre cismar
    É se quero estar contigo
    Ou quero contigo estar!

    toma!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s