Décadas

Estamos cotas. Verdadeiramente cotas. Como me senti hoje quando, ao entrevistar um jovem artista da nossa praça, realizei que ele tem a mesma idade que eu tinha há dez anos atrás. Dez-anos-dez. Como nos touros. Dez anos é muito tempo. Passa muito tempo. Começamos a ficar velhos quando dez anos se tornam nada. Quando percebemos que afinal passam a correr.
Foi isso que a capa do Ípsilon de ontem me fez. A foto é belíssima e isso chegava para chegar cá dentro. Se dez anos é muito ano, vinte é muito mais. A malta está a ficar velha.
Nevermind

(hoje também foi dia de inauguração da “Introspectiva” de Filipe Alarcão no MUDE. Belíssima. E a provar que a maturidade, no design como na vida, pode ser esplendorosa. Amanhã – ou depois – há mais)

Anúncios

Respond to Décadas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s