Mood Lifter (La Fascinante)

1950s-red-lipstick-ad1

Lipstick is back, increasingly enjoyed by a generation of women who never previously wore it alongside with those who have rediscovered its complexion-freshening, mood-lifting properties.”

 

No último número de The Gentlewoman, descubro uma magnífica produção de maquilhagem quase sem maquilhagem. Ou com alguma maquilhagem, mas tão bem maquilhada que quase nem se nota. Leio a entrada do texto e verifico que se trata de uma soberba publireportagem disfarçada (tão bem que quase nem se nota): o make up é obra do director criativo de maquilhagem da Chanel, e todas as fotografias, apresentadas em versão preto e branco e a cores, servem para evidenciar as características de Les Beiges, a nova geração de pó compacto da marca, que chega na Primavera.

Uns dias mais tarde, nuns grandes armazéns da capital, à procura de um baton dramático (Leio na revista, e escrito assim, neste tom autoral, está tal e qual um documentário da National Geographic: “Lipstick is back, increasingly enjoyed by a generation of women who never previously wore it alongside with those who have rediscovered its complexion-freshening, mood-lifting properties.” Penso nos lábios encarnados da Grande Guerra, e nas mulheres que desenhavam fios ao longo das pernas, para simular meias de vidro inexistentes).

Percorro visualmente os batons da marca artística canadiana, sozinha encontro o tom que procuro, e peço ajuda. Uma loira oxigenada de raízes pretas que claramente estagnou nos anos 80 sem nunca sequer ter visto um vinil, arrasta-se até mim, a cabecinha levemente inclinada para a direita, a anca levemente esticada para a esquerda, e detém-se, especada, a olhar.

Não diz nada, só olha.

Claramente está à espera que eu suplique para que me atenda. O que faço, logicamente, porque daí a meia-hora tenho de estar no escritório e ainda não almocei. Digo-lhe que gostava de experimentar aquele baton e que precisava de um blush também. A contragosto, lá procura o baton com desdém e displicência, para concluir que está esgotado. Enquanto experimento o tester, a verdadeira artista do make up assobia para o lado mentalmente – mas também podia estar a limar as unhas, ou a mastigar pastilha elástica de boca aberta, ou a fazer umas botinhas de tricot, que seria a mesma coisa – incapaz de disfarçar o seu ar de puro tédio. Não abre a boca, não mexe nenhum dos músculos da cara num assomo de expressão. Não boceja, é verdade, mas até isso seria pedir demais. É um autómato, um autómato insuportavelmente blasé e enjoado, mais enjoado que um pescado (maquilhado). Deus é grande. Se o raio do baton não estivesse esgotado, teria de ter feito um esforço enorme para o comprar.

Pergunta: será que ganham à comissão para enxotar clientes? Estarão em greve silenciosa? Irão organizar um sit-in com cartazes pintados a rimmel, pincéis agitando-se no ar em uníssono?

Outros, vários, dias mais tarde, mesmo sítio, mesma hora. Regresso ao lugar do crime para ver se desta vez tenho mais sorte e sou atendida por alguém que tenha sido amado no último ano. Mas é inútil. Aparece-me mais um pitbull sonso, de pestanas enroladas e pálpebras minerais, esbanjando cinismo e má vontade. E assim concluo que a minha love story de quase duas décadas com a marca de cosméticos canadiana tem os dias contados.

Hélas. Deslizo para a concorrência e uma senhora muito educada e simpática descreve-me os encantos de Les Beiges, e, enquanto não chegam, e a Primavera, e as andorinhas, convence-me a trazer um rouge irresistível com o nome “La Fascinante”.

Serve todo este détour para dizer: 1) em tempos de crise, a cosmética está em contraciclo. Os chocolates também. E as tartes de amêndoa, quero crer.

2) quando quiserem cair numa indulgência e dar uma dentada no fruto proibido do consumo, e se inclinarem pela primeira opção, afastem-se das M.A.Ciavélicas.

(também tenho reparado que os folhos estão em alta, a geometria em cores básicas também e que as top models dos anos 90 protagonizam um glorioso comeback. O próximo post poderia chamar-se Mondrian Sevilha Evangelista. E este não vai ser mais um blogue de moda, sosseguem.)

 

Anúncios

Respond to Mood Lifter (La Fascinante)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s