TARTARE NA RIBEIRA

 

icon-12

tunatartare

A minha queridíssima amiga B. desafiou-me para um almoço repentino. Fui finalmente conhecer o xu-xu da Time Out, a.k.a Mercado da Ribeira revamped. Devo dizer que fiquei impressionada. Positivamente. O aspecto de cantina modernaça, mesas corridas estilo nórdico, começou por me perturbar, por impessoal. Pouco a pouco, fui percebendo que era difícil pôr as coisas de outra maneira. Havia detalhes bonitos, como mesas altas, e outras mais baixinhas, perfeitas para anões ou japoneses ou as nossas crias, ou uma qualquer ilusão de intimidade.

Fomos ao tártaro- Tartar-ia, de seu nome – projecto Lisboeta do chef austríaco Dieter Koschina (Vila Joya). A minha amiga B. deleitou-se com um redondinho tártaro de atum (e gengibre e sésamo, criação do chef convidado Peter Knogl, duas estrelas Michelin no papo). Eu preferi ser do contra – é um hábito – e num restaurante tartare, escolhi a opção veggie. O cru exponenciado. Não fui nada mal. Blue cheese e cubinhos de marmelada sobre cama de alface roxa (até está a ficar picante). No fim, perdemos um saco de fruta e os empregados que recolhem as mesas foram de uma implacável simpatia para o achar, embora não o tivéssemos encontrado.

Vem tudo isto a propósito do novo espaço da Time Out. Tem tudo no sítio. A curadoria gastronómica – que reúne alguns conhecidos chefes da praça (à cabeceira, comme il faut, estão num dos topos do espaço), clássicos como o Café de São Bento e o Santini, e tartares em primeira mão – é impecável (o mesmo não podendo dizer-se da curadoria de outro projecto Time Out, desta vez na área dos trapos e afins, o Embaixada, bastante mais confusa e até com um certo desnorte). Há mercearia da mais fina e também uma zona, ao centro, dedicada aos vinhos e outros espíritos puros. O espaço, ainda que beneficiasse de algumas zonas de maior privacidade (ou menos decibéis) é arejado. Com croquetes escondidinhos e todo o Mercado da Ribeira, à antiga, para descobrir. Uma mesa bem posta, portanto. Nós lá sabemos o que fazemos dentro de casa, mas fora de casa, é com eles. Ah pois é.

(in english below)

tatamiveggie

 

My dearest friend B. challenged me to a sudden lunch. I finally met Time Out’s little darling, aka Mercado da Ribeira revamped. I must say I was impressed. Positively. The appearance of modernish canteen tables, Nordic style, disturbed me at first, so impersonal it seemed Gradually, I realized how difficult it must have been to put things differently. There were beautiful details, such as high tables, and low ones too, perfect for dwarves or Japanese visitors or our offspring, or any illusion of intimacy.

We went to the tartare place – Tartar-ia – the Lisbon project of Austrian chef Dieter Koschina (Vila Joya). My friend B. reveled in a perfect tuna tartare (and ginger and sesame, created by guest chef Peter Knogl, two Michelin stars in his pocket). I chose to be contra- it is a habit – and, at a tartare restaurant, I went for the veggie option. Raw exponentiated. I was not bad either. Blue cheese and diced marmelada (quince jam) on a bed of red lettuce (this is getting spicy). In the end, we lost a bag of fruit and the employees who collect the tables were relentlessly helpful in our quest, although in the end we didn’t find it.

This is all about Time Out’s new hangout in Lisbon. It has everything in place. The gastronomic curatorship – which brings together some of the country’s leading chefs (at the head of the table, comme il faut), classics such as Café de São Bento and Santini, and firsthand tartares- is flawless (not the same may be said of another Lisbon project curated by Time Out, this time around clothes and the like, the Embaixada, far more confusing and even with a certain disorientation). There are fine grocery shops and also a central area dedicated to wines and other pure spirits. The space, even though some areas would benefit from greater privacy (or less decibels) is well-aired. With hidden croquettes and the entire old Mercado da Ribeira, to discover. A well set table, thus. We know what we do at our homes, but outside it, we can leave it to them. Indeed.

 

 

Anúncios

Respond to TARTARE NA RIBEIRA

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s