Saudades (o mundo inteiro)

icon-06

infinity

Do caos das cidades, das paredes dos museus, dos jardins da Gulbenkian, dos jacarandás de Évora, das pontes, dos arcos, das arcadas, dos areais, dos concertos em particular e de todas as aglomerações de gente em geral, das salas de cinema, das pistas de dança,

das escadas rolantes, de andar de metro,  de andar de eléctrico, do bafo dos bares, das filas para jantar, das ruas do Porto, da beleza de Serralves, de flâner, de tocar, de demorar tempo, de me atrasar, do cheiro das linhas dos comboios, das imperiais, das bolas de gelado, das bolas de berlim, do ruído dos outros, do silêncio dos outros, de partilhar um copo, de ter as mãos sujas, de abraçar quem mais quero, dos assentos apertados dos aviões, das mãos livres sobre as prateleiras, bancas, mercados, praças, corrimãos, passagens. Da liberdade, da inconsciência.

(o mundo inteiro está no coração constelação do Júlio Dolbeth)

One response to Saudades (o mundo inteiro)

  1. Lena

    E de tantas outras coisas … saudades de se ver e ser visto , de abraçar e ser abraçado… Saudades do futuro ( até qdo?!) como dizia o Poeta , e a aprendiz q o disse tb sem saber q já tinha sido dito …

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s