ARCO en ciel

icon_10

IMG_1884

Uma notícia sobre a terceira edição da ARCOLisboa (tudopegado) diz assim: “ARCO. Há galerias londrinas que preferiram Lisboa a Madrid”. Isto provoca-me algum espanto. Isto não devia ser notícia. Só apetece dizer:

PUDERA.

Continue Reading

Anúncios

Reclamar por aí

icon-08

IMG_0059.JPG

“Reclame” é aquela palavra muito gira que me lembro de ouvir da boca do meu pai sempre que queria aludir a alguma forma de publicidade. Atenção que a palavra valia para tudo.

Continue Reading

Lisboa é Dylan

icon-09

bobdylan-xlarge_trans++eo_i_u9APj8RuoebjoAHt0k9u7HhRJvuo-ZLenGRumA.jpg

Diz que Lisboa foi eleita “Best City” pelos iluminados da Wallpaper. Diz que o júri era composto por pessoas muito respeitáveis, como a arquitecta Amanda Levete, o escultor Tom Sachs ou os meus queridos Bouroullec.

Continue Reading

Montanha Russa

icon-07

caminho_jules_jim.jpg

Quem não anda a pé por Lisboa, devia andar. Eu faço-o sempre que posso.  É mesmo assim. Não há paciência para condutores incivilizados e filas intermináveis, dependentes da guilhotina do semáforo de serviço.

Mesmo com as colinas, se calhar até por causa das colinas, andar por Lisboa é um luxo.

Continue Reading

Navalhada

icon-15

376117_212824215461818_1449547905_nO meu avô, que era careca até ao último cabelo, ignorava o evidente desapego da sua luzidia cabeçorra e vinha ao barbeiro ao Chiado, aparar as pontas do farto bigode, digo eu, já que o que lhe faltava no topo da cabeça lhe sobrava entre o nariz e o lábio superior (é na amplitude desse espaço que despontam os verdadeiros bigodes, aprendi).

Continue Reading

Cocó Chanel

icon-07

Chanel_no_5_ad-thumb-600x331-6633

Estou à vontade porque sou uma abençoada moradora da Madralapa, que é aquele bairro físico e imaginário que às vezes cobre a Madragoa, outras vezes a Lapa, outras vezes ainda os espaços que ficam pelo meio, os in-betweens, que são os melhores, como bem sabe quem pratica meditação.

Continue Reading

Lisboa do Avesso

icon-09IMG_1341Vi fugir Agosto como quem vê a banda passar. Lisboa estava deserta. Lisboa estava cheia. Com os de cá ausentes para banhos, e os de lá cirandando por aí, era uma outra cidade que se revelava. Um novo topos. Gerou-se uma grande confusão: mas onde estamos então, afinal?

Continue Reading

Lunch break

icon-09lisboaA minha amiga B.,uma loba disfarçada de conservadora, morde a língua e agradece ao Sr. Costa ter-nos devolvido o Tejo. Eu assinto, e agradeço ao Sr. Costa ter-nos ensinado a pronunciar correctamente “dézaine” em português. E “Lesboa” em alfacinha.

Continue Reading

No more posts.